Gavião Peixto: Alçando vôo para o futuro

Gavião Peixto: Alçando vôo para o futuro

Até o ano 2000 Gavião Peixoto era apenas mais uma das recém criadas cidades. Com apenas 5 anos de emancipação política foi escolhida para sediar a nova fábrica da Embraer, Empresa Brasileira de Aeronáutica S.A., uma da maiores do mundo com 35 anos de existência. A localização e a topografia foram decisivas para que a Embraer se instalasse na cidade de cerca de 5 mil habitantes, já que a fábrica tem uma pista de pouso e decolagem de 5 km de extensão, e é dotada de características para apoio a atividades de ensaios de vôo, o que a tornam única em todo o hemisfério sul.

Gavião Peixoto fazia parte do núcleo colonial Cambuhy, que ficava dentro de uma fazenda e foi organizado pelo governo para receber os imigrantes que chegavam para trabalhar na lavoura do café. A estação de trem, inaugurada em 1908, deu origem ao distrito que só se tornou município em 1995. A estação, desativada há 36 anos, ficou abandonada por um tempo até ser comprada por um casal da cidade, filhos de imigrantes que desembarcaram exatamente ali, e que queriam, com a compra, preservar um pouco da história da família e de todos que ali chegaram. Café, ferrovia e imigrantes.

Assim começou a história do desenvolvimento de Gavião Peixoto. Hoje a cidade tem laranja, cana-de-açúcar, fábrica de aviões e espera pelo novo “boom” de desenvolvimento. A instalação da fábrica, por enquanto, não trouxe mudanças significativas para os rumos da cidade, que sempre teve a agricultura como sua maior fonte de riqueza. Os trabalhadores mais especializados, contratados pela Embraer, vêm das cidades vizinhas, e a empresa foi isenta do pagamento de alguns impostos pela prefeitura, até 2015. Economicamente a cidade conta, de maneira mais forte, com a agricultura. São 141 produtores rurais, sendo 80% de pequeno porte e 20% de grandes produtores, que garantem emprego e renda para boa parte da população.

Na área da saúde a construção de uma Unidade Básica mais avançada já começou. Hoje só o pronto atendimento é feito na cidade. Na área de saneamento básico a questão do lixo é a que mais preocupa. Apenas neste ano é que a cidade começou a fazer coleta com caminhão compactador. A rede de esgoto já existe, mas a lagoa de tratamento está sendo repensada tecnicamente, devido à proximidade com a área urbana. A educação em Gavião Peixoto não foi municipalizada. A prefeitura investe diretamente na educação infantil e profissionalizante, visando a inserção dos jovens no programa de qualificação do pólo aeronáutico.

Uma parceria com o Senai oferece especialização em informática, leitura e interpretação de desenho técnico mecânico, eletricidade básica e eletrônica digital. A cidade agora conta também com um curso pré-vestibular, uma parceria com a Unesp e a Fundação Embraer. Os primeiros resultados já apareceram em menos de dois anos: 3 alunos foram aprovados em universidade públicas. É a aposta no futuro. Outro exemplo de trabalho visando a inserção do jovem e de toda a população é o espaço on-line. O espaço oferece gratuitamente oportunidade de inclusão digital para aqueles que não possuem computador e acesso à internet. Uma monitora trabalha com grupos, dando suporte e orientações. O espaço serve também como uma forma de divulgar a cidade. Como lá não existe jornal ou revista, foi criado o Gavião Peixoto on-line, o endereço é www.gpxonline.com.br que já conta com cerca de mil acessos por mês.

Dados

  • Laranja 2.230.000 pés/ 4.460.000 cx.40,8 kg
  • Cana-de-açúcar 3900 ha /292.500 ton
  • Milho 400 ha / 24.000 sc.60 k
  • Soja 220 ha /9.900 sc.60 kg
  • Algodão 40 ha / 4800 @

Fonte: Cati Araraquara.

Maio/2005